Skip to content Skip to left sidebar Skip to right sidebar Skip to footer

Vespa Velutina

O Município de Ferreira do Zêzere implementou no início do ano de 2019 um plano de ação e controlo da Vespa Velutina, designada popularmente como “Vespa Asiática”, sendo agora conhecidos os resultados do 1º semestre do ano.

Esta Iniciativa pioneira promovida pelo Município de Ferreira do Zêzere permitiu proteger mais de 90 milhões de abelhas no primeiro semestre de 2019 no concelho.

Foram colocadas mais de mil armadilhas em todo o território do concelho, sendo que houve um reforço na zona norte. Todas elas estão georreferenciadas e com uma distância de colocação entre as mesmas de 100 a 500 metros.

Estas armadilhas estão marcadas com uma faixa amarela para atrair insetos e suspensas por um cordel onde contém a informação “PROTEÇÃO CIVIL F. ZÊZERE, Armadilha seletiva para Vespa Velutina – 935 50 60 80, ISCO NÃO PERIGOSO!”

Vespa Velutina

O período de colocação das armadilhas, iniciou-se entre 18 de fevereiro e 6 de março de 2019. Nesta fase, o principal objetivo foi capturar o maior número de vespas velutinas fundadoras (rainhas), pois este período de tempo corresponde à saída da vespa velutina da hibernação.

Dentro de 846 armadilhas avaliadas, foram encontradas 721 vespas velutinas rainhas. Em termos de estimativa do impacto, com a captura do número indicado de vespas velutinas fundadoras, foi assim eliminada a proliferação estimada (nascimento) de 1 802 500 novas “vespas asiáticas”, tendo sido salvas cerca de 90 125 000 abelhas.

As armadilhas e a respetiva supervisão em todo o concelho é pioneira e efetuada com fundos do próprio município. Esta monitorização irá ser efetuada novamente no segundo semestre e espera-se alargar o numero de armadilhas no inicio de 2020, seguindo aconselhamento técnico especializado.

Vespa VelutinaParalelamente, tem sido feito um trabalho de eliminação de ninhos ativos encontrados, sendo imediatamente extintos e retirados, sendo que este é um trabalho que só é feito conforme são localizados. Estas ações são financiadas pelo Fundo Florestal Permanente, mediante candidatura realizada pelo Município.

Pretende-se assim, com estas estratégias controlar a expansão deste inseto e recolher dados de forma sistemática acerca do impacto e consequências que está a causar.

A Vespa Velutina, teve a sua introdução involuntária na Europa em 2004 no território francês, a sua presença foi confirmada em Espanha em 2010 e em Portugal e Bélgica em 2011.

Trata-se de uma espécie carnívora e predadora de abelhas, influenciando assim a produção frutícola, pela menor atividade de polonização e apresenta-se como um perigo para a saúde pública, não no sentido da agressividade em relação às vespas europeias, mas no caso de sentirem os ninhos ameaçados, reagirem de modo bastante agressivo, fazendo perseguições em algumas centenas de metros.

Caso identifique algum ninho, não tente eliminar o mesmo, pois pode estar a contribuir para a sua proliferação ou pode colocar a sua vida em risco. alerte de imediato o Serviço Municipal de Proteção Civil através do telefone 249 360 155 ou através do portal STOPvespa. Colabore no combate a esta espécie invasora.

STOPvespa

O portal STOPvespa visa apoiar a identificação e o controlo da vespa asiática (Vespa velutina) em Portugal Continental. Através da georreferenciação online dos avistamentos e dos ninhos desta espécie exótica invasora, esta ferramenta contribui para a comunicação entre a população, os técnicos dos municípios e a administração central, bem como para o apoio à gestão desta problemática e à tomada de decisão.

O STOPvespa apoia a monitorização da distribuição e da expansão da vespa asiática, através da geolocalização online de avistamentos e de ninhos num servidor de mapas.

Com esta ferramenta é possível, através de diferentes dispositivos com ligação à internet, introduzir in loco a localização das observações, preenchendo um simples formulário com as informações sobre o avistamento ou o ninho, bem como anexar fotografias dos mesmos.

Cada observação é importante para monitorizar a expansão da vespa asiática, contribuindo para uma mais rápida localização e remoção dos ninhos.